• Seminário EDUCAR...o Quê, Como e Onde?

    A Não Perder

    Seminário EDUCAR...o Quê, Como e Onde?

    Ler mais

  • Música p’ra nanar na Biblioteca

    A não perder

    Música p’ra nanar na Biblioteca

    Ler mais

  • Ilustres desconhecidos | Concerto para Piano de Joly Braga Santos

    A não perder

    Ilustres desconhecidos | Concerto para Piano de Joly Braga Santos

    Ler mais

  • A não perder

    Ateliêr Grandes e Pequenos “A última paragem" de Matt de la Peña

    18 de janeiro

    Esta viagem, cheia da energia de uma cidade movimentada, dá relevo a um olhar maravilhoso, que só pode ser partilhado entre avós e netos, ganhando vida através da escrita vibrante de Matt de la Peña e das ilustrações radiantes de Christian Robinson.

  • A não perder

    Músicas às Terças | Audições comentadas por João Miguel Cunha

    Janeiro a março 2020

    De forma a abordar temas que despertem o público para uma audição mais consciente da música, João Miguel Cunha propõe-se comentar semanalmente obras de grandes compositores, com o suporte de vídeo e áudio. Os assistentes serão exortados a colaborar, colocando perguntas ou expressando ideias ou emoções, no sentido de se criar uma verdadeira tertúlia.

  • A não perder

    Histórias na Quinta

    25 de janeiro

    Como novidade nos ateliês, a Quinta Pedagógica irá iniciar uma nova atividade de sábado, as “Histórias na Quinta”, onde a Biblioteca Municipal vem à Quinta ler histórias.

  • A não perder

    Clube de Escrita Criativa para Jovens

    24 janeiro, 21 fevereiro e 6 e 20 de março 2020

    Este clube de escrita criativa tem como objetivo fomentar desde cedo nos jovens o prazer pela escrita. Será um espaço de troca de experiências e criações literárias em que o gosto pela leitura será também bem marcado.

  • A não perder

    Exposição da 19ª Corrida Fotográfica de Portimão

    7 de dezembro a 12 de abril 2020

    A exposição dos trabalhos premiados da 19ª Corrida Fotográfica de Portimão, maior maratona fotográfica a sul do Tejo – bem como a entrega dos prémios aos vencedores, está marcada para sábado, dia 7 de dezembro, às 17h00, no Museu de Portimão e estará integrado no programa oficial das Comemorações do Dia da Cidade de Portimão.

  • A não perder

    Música p’ra nanar na Biblioteca

    8 fevereiro, 14 março, 23 maio e 13 junho

    Nestas sessões de música pretende-se proporcionar à criança momentos lúdicos que o irão preparar para futuramente entender melhor a música, expressando as suas próprias ideias musicais de forma autónoma e independente.

  • A não perder

    Exposição "Estuários" de Arlindo Arez

    Até 23 de fevereiro

    Nesta exposição, o público tem a oportunidade de experienciar o trabalho desenvolvido recentemente por Arlindo Arez, artista conterrâneo e contemporâneo, de reconhecimento internacional. O tema da exposição - ESTUÁRIOS - pretende enquadrar estes trabalhos, abstratos, por conceção, numa linhagem histórica de pintura de paisagem, reinterpretada, como é claro, num registo identificável numa corrente de Expressionismo Abstrato.

  • A não perder

    Em janeiro na Casa Manuel Teixeira Gomes

    11 a 31 de Janeiro

    Em janeiro assinala-se na Casa Manuel Teixeira Gomes o bicentenário do nascimento do Báb - uma das figuras centrais da Fé Bahá'í - que preparou o mundo para a vinda de Bahá'u'lláh, o prometido de todas as épocas. Em apenas 6 anos, o impacto que a Sua vida e obra geraram foi tal que, 200 anos depois, milhões de pessoas no mundo inteiro desejam celebrar e homenagear a Sua vida e Missão.|| Consulte também a restante programação.

  • A não perder

    Hora de Conto com Autores “A aventura da pulguinha Aurora”

    1 de fevereiro

    Aurora é uma pequena pulga que se perde dos seus pais e embarca numa aliciante aventura para encontrar o caminho de volta a casa. Junta-te a ela nesta viagem e ajuda-a a decifrar o enigma que a levará ao encontro da sua família.

  • Ateliêr Grandes e Pequenos “A última paragem
  • Músicas às Terças | Audições comentadas por João Miguel Cunha
  • Histórias na Quinta
  • Clube de Escrita Criativa para Jovens
  • Exposição da 19ª Corrida Fotográfica de Portimão
  • Música p’ra nanar na Biblioteca
  • Exposição
  • Em janeiro na Casa Manuel Teixeira Gomes
  • Hora de Conto com Autores “A aventura da pulguinha Aurora”

No próximo dia 19 de novembro, pelas 19h30, o Centro Comunitário de Alvor recebe o espetáculo de teatro-documentário - “Pelos que andam sobre as águas do mar”, de Raquel Belchior/GALATEIA, que contará com a participação especial do coro feminino do Centro Comunitário de Alvor e que terá entrada gratuita. De referir que no ano transato, o Auditório Museu de Portimão recebeu este espetáculo e teve casa cheia.

Este espetáculo tem entrada gratuita mas de reserva obrigatória através dos seguintes contactos: 282405230 e Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. e ainda 282459326 e Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

De referir, que dois dias antes, dia 17 de novembro, pelas 16h00, irá ser apresentado o livro PELOS QUE ANDAM SOBRE AS ÁGUAS DO MAR – notas de um processo artístico e antropológico nas Instalações da Junta de Freguesia de Alvor. Este livro contou com a colaboração do Museu de Portimão. Contrariando a efemeridade do teatro, este livro regista o processo de investigação artística e antropológica realizada nas comunidades piscatórias da Nazaré, Sesimbra, Setúbal, Montijo e Alvor. Ao coligir os testemunhos das várias pessoas entrevistadas e as experiências da equipa durante as residências artísticas nestes locais, pretendemos contribuir para a consolidação de um património coletivo ligado à vivência marítima e piscatória.

Inspirado na obra “Os Pescadores”, de Raul Brandão, no trabalho de investigação realizado nas comunidades piscatórias de Portimão, Nazaré, Sesimbra, Setúbal e Montijo, e na investigação antropológica de Vanessa Amorim, o projeto tem o Museu de Portimão como parceiro, conta com a participação das atrizes Ana Lúcia Palminha e Suzana Branco e é encenado por Miguel Jesus.

Entre 1921 e 1923 Raul Brandão documentou nas páginas d´OS PESCADORES a dimensão do nosso mar e quem dele fazia vida. Esta obra, escrita há mais de 90 anos, permanece como um dos mais belos roteiros literários dos nossos portos, praias e rias. Partindo do livro de Raul Brandão e do trabalho de pesquisa junto de diferentes comunidades piscatórias, o espetáculo “Pelos que andam sobre as águas do mar” pretende homenagear as várias gerações de homens e mulheres que fizeram e fazem do mar a sua vida. Duas atrizes dão corpo e voz às suas histórias convocando de forma poética a memória e a paisagem da nossa costa. Em cada local um espetáculo diferente, reescrito a partir da experiência efetiva e afetiva com a comunidade.
 
SINOPSE
Que relatos e que retratos se podem traçar hoje, à luz do século XXI, sobre a história e as estórias das gentes e do mar? Que paisagens litorais se podem desenhar e dar a conhecer? Este projeto pretende contribuir para o fortalecimento da identidade cultural da linha costeira do país através da produção de registos literários, fílmicos e teatrais, por sua vez baseados no património material e imaterial associado à pesca e ao mar.


O FASCÍNIO EM RAUL BRANDÃO
As comemorações dos 150 anos do nascimento de Raul Brandão constituem uma excelente oportunidade para revisitar a escrita de um dos mais importantes escritores da nossa literatura. A sua escrita, refletindo uma personalidade plural, e por vezes contraditória, deambula entre uma abordagem sombria da condição humana, que identificamos, por exemplo, em Húmus, a sua obra-prima, e a descrição luminosa do homem e da natureza, revelada em livros como As Ilhas Desconhecidas; mas sempre com uma forte preocupação com a situação e o destino dos mais carenciados. Os Pescadores, o seu livro mais popular em vida, de cariz impressionista, constitui-se como um importante registo, um retrato social do país piscatório à época, que importa, no tempo atual, abordar com novas ferramentas. O papel central das Mulheres nas comunidades, a escassez dos recursos, já apontada por Brandão nos anos 20 do século passado, o mar como lugar de tragédia, são apenas alguns dos temas que temos vindo a trabalhar. A obra de Brandão é assim ponto de partida e inspiração para uma reescrita sobre o que resta desse mundo, esventrado pela máquina do tempo e pelos seus atores.

Este espetáculo é promovido pelo Museu de Portimão e pela Junta de Freguesia de Alvor.

PARCEIROS: CÂMARA MUNICIPAL DE PORTIMÃO CÂMARA MUNICIPAL DA NAZARÉ | CÂMARA MUNICIPAL DE MONTIJO | CÂMARA MUNICIPAL DE SETUBAL | CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA

APOIOS AO PROJECTO MÚTUA DOS PESCADORES, CRL. | CRIA | IELT | REVISTA MARINHA | PONG PESCA | SETUBAL PESCA | BIVALMAR | SCUPA | MUSEU DO PESCADOR | DOCAPESCA | MUSEU DO TRABALHO MICHEL GIACOMETTI | MUSEU DR. JOAQUIM MANSO | MUSEU MARÍTIMO DE SESIMBRA | MUSEU DE PORTIMÃO

 

+ Informações

www.projectopescadores.webnode.pt

Facebook/pelosqueandamsobreasguasdomar

Contacto

Raquel Belchior

(Produção)

tlm. 917307187

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

 

0
0
0
s2sdefault