• Semana Europeia da Mobilidade

    Notícias

    Semana Europeia da Mobilidade

    Ler mais

  • Rota do Petisco 2020

    Notícias

    Rota do Petisco 2020

    Ler mais

  • Época Desportiva 2020/2021

    Notícias

    Época Desportiva 2020/2021

    Ler mais

24.07.2020

O próximo dia 25 de outubro vai ser uma data histórica para o desporto motorizado português, com o regresso da Fórmula 1 às pistas nacionais, depois uma longa ausência de 24 anos, e logo ao Autódromo Internacional do Algarve (AIA), situado na freguesia da Mexilhoeira Grande, concelho de Portimão.

A confirmação desta boa notícia foi feita na tarde desta sexta-feira, 24 de julho, no próprio AIA, numa conferência de imprensa que contou com as participações do secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, da secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, do presidente da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting, Ni Amorim, e da presidente da Câmara Municipal de Portimão, Isilda Gomes.

"A primeira palavra que me apetece dizer é: conseguimos!", começou por expressar a autarca, para quem “isto é um grande orgulho, porque temos nesta terra um homem chamado Paulo Pinheiro, que é um sonhador e sonhou que Portimão e o Autódromo Internacional do Algarve deviam ter a Fórmula 1.”

“A sua determinação cativou-nos a todos, inclusivamente o 1º ministro António Costa, que é um concretizador”, afirmou Isilda Gomes, que também destacou o papel dos seus colegas na região, “para que este ambicioso objetivo seja uma realidade”, realçando que a prova constituirá “um orgulho para o Algarve e para Portugal, ao mesmo tempo que fará muito bem à nossa auto estima.”

Sobre o facto de se realizar numa altura de pandemia, Isilda Gomes garantiu que “o Algarve tem sabido controlar este problema sanitário, graças à capacidade de resposta dos profissionais de saúde e demais envolvidos, proporcionando todas as garantias de segurança, ao ponto de poder receber esta espécie de medalha de ouro do desporto mundial.”

“A promoção global da prova e, por tabela, do destino turístico algarvio, é algo não quantificável, pois conseguiremos chegar aos quatro cantos do mundo e mostrar todas as nossas qualidades, da hotelaria de excelência à saborosa gastronomia, sem esquecer os vinhos, das praias magníficas e do deslumbrante interior, ao património histórico-cultural e às marinas que salpicam a costa. Mas, sobretudo, o que ressaltará é a capacidade de acolhimento de que os algarvios são capazes e a simpatia com que recebem toda a gente”, sublinhou a presidente.

No final da sua intervenção, Isilda Gomes referiu que “a tudo isto acrescem níveis de segurança elevadíssimos, pelo que estou certa que os pilotos e as equipas vão querer regressar no próximo ano, fidelizando a nossa prova no calendário internacional.”

PÚBLICO NAS BANCADAS

Ao perfilhar as palavras da autarca, o administrador da Parkalgarve, Paulo Pinheiro, afirmou que “a primeira batalha está ganha e para mim, a título pessoal, foi concretizado o sonho de uma vida. Acima de tudo, este é o resultado do trabalho de uma equipa dedicada, que passou momentos muito difíceis devido à Covid-19.”

“Mas conseguimos ter a atitude mental de ir atrás de uma coisa que todos diziam ser impossível, e a Parkalgarve, a Câmara de Portimão, os outros municípios algarvios, a RTA, o Turismo de Portugal e o Governo português congregaram vontades para termos uma prova de Fórmula 1 por direito próprio”, disse com indisfarçada satisfação.

Nas palavras de Paulo Pinheiro, “ao contrário do que alguns pensam, não seremos uma corrida de substituição, pois escolhemos a data que mais nos convinha e vamos ter a prova que queríamos, com regras que respeitam todas os procedimentos sanitários, só que com público. Não iríamos aceitar o regresso da Fórmula 1 a Portugal, e logo na estreia no nosso autódromo, sem pessoas e sem emoção.”

Nesse sentido, o responsável considera que “será uma vitória termos público em plena época de pandemia, de forma correta e segura, e o grande objetivo será assegurar que nos próximos anos o circo da Fórmula 1 continue a passar por Portimão.”

O Fórmula 1 Heineken Grande Prémio de Portugal 2020 terá um impacto económico-financeiro estimado em 30 milhões de euros, no mínimo, segundo estimativas oficiais, e contará com um programa diversificado que inclui a realização de outras competições, nomeadamente a Fórmula 2, a Fórmula 3 e a Super Cup Porsche, decorrendo entre 23 e 25 de outubro próximo.

0
0
0
s2sdefault