• Seminário EDUCAR...o Quê, Como e Onde?

    A Não Perder

    Seminário EDUCAR...o Quê, Como e Onde?

    Ler mais

  • Música p’ra nanar na Biblioteca

    A não perder

    Música p’ra nanar na Biblioteca

    Ler mais

  • Ilustres desconhecidos | Concerto para Piano de Joly Braga Santos

    A não perder

    Ilustres desconhecidos | Concerto para Piano de Joly Braga Santos

    Ler mais

  • A não perder

    Ateliêr Grandes e Pequenos “A última paragem" de Matt de la Peña

    18 de janeiro

    Esta viagem, cheia da energia de uma cidade movimentada, dá relevo a um olhar maravilhoso, que só pode ser partilhado entre avós e netos, ganhando vida através da escrita vibrante de Matt de la Peña e das ilustrações radiantes de Christian Robinson.

  • A não perder

    Músicas às Terças | Audições comentadas por João Miguel Cunha

    Janeiro a março 2020

    De forma a abordar temas que despertem o público para uma audição mais consciente da música, João Miguel Cunha propõe-se comentar semanalmente obras de grandes compositores, com o suporte de vídeo e áudio. Os assistentes serão exortados a colaborar, colocando perguntas ou expressando ideias ou emoções, no sentido de se criar uma verdadeira tertúlia.

  • A não perder

    Histórias na Quinta

    25 de janeiro

    Como novidade nos ateliês, a Quinta Pedagógica irá iniciar uma nova atividade de sábado, as “Histórias na Quinta”, onde a Biblioteca Municipal vem à Quinta ler histórias.

  • A não perder

    Clube de Escrita Criativa para Jovens

    24 janeiro, 21 fevereiro e 6 e 20 de março 2020

    Este clube de escrita criativa tem como objetivo fomentar desde cedo nos jovens o prazer pela escrita. Será um espaço de troca de experiências e criações literárias em que o gosto pela leitura será também bem marcado.

  • A não perder

    Exposição da 19ª Corrida Fotográfica de Portimão

    7 de dezembro a 12 de abril 2020

    A exposição dos trabalhos premiados da 19ª Corrida Fotográfica de Portimão, maior maratona fotográfica a sul do Tejo – bem como a entrega dos prémios aos vencedores, está marcada para sábado, dia 7 de dezembro, às 17h00, no Museu de Portimão e estará integrado no programa oficial das Comemorações do Dia da Cidade de Portimão.

  • A não perder

    Música p’ra nanar na Biblioteca

    8 fevereiro, 14 março, 23 maio e 13 junho

    Nestas sessões de música pretende-se proporcionar à criança momentos lúdicos que o irão preparar para futuramente entender melhor a música, expressando as suas próprias ideias musicais de forma autónoma e independente.

  • A não perder

    Exposição "Estuários" de Arlindo Arez

    Até 23 de fevereiro

    Nesta exposição, o público tem a oportunidade de experienciar o trabalho desenvolvido recentemente por Arlindo Arez, artista conterrâneo e contemporâneo, de reconhecimento internacional. O tema da exposição - ESTUÁRIOS - pretende enquadrar estes trabalhos, abstratos, por conceção, numa linhagem histórica de pintura de paisagem, reinterpretada, como é claro, num registo identificável numa corrente de Expressionismo Abstrato.

  • A não perder

    Em janeiro na Casa Manuel Teixeira Gomes

    11 a 31 de Janeiro

    Em janeiro assinala-se na Casa Manuel Teixeira Gomes o bicentenário do nascimento do Báb - uma das figuras centrais da Fé Bahá'í - que preparou o mundo para a vinda de Bahá'u'lláh, o prometido de todas as épocas. Em apenas 6 anos, o impacto que a Sua vida e obra geraram foi tal que, 200 anos depois, milhões de pessoas no mundo inteiro desejam celebrar e homenagear a Sua vida e Missão.|| Consulte também a restante programação.

  • A não perder

    Hora de Conto com Autores “A aventura da pulguinha Aurora”

    1 de fevereiro

    Aurora é uma pequena pulga que se perde dos seus pais e embarca numa aliciante aventura para encontrar o caminho de volta a casa. Junta-te a ela nesta viagem e ajuda-a a decifrar o enigma que a levará ao encontro da sua família.

  • Ateliêr Grandes e Pequenos “A última paragem
  • Músicas às Terças | Audições comentadas por João Miguel Cunha
  • Histórias na Quinta
  • Clube de Escrita Criativa para Jovens
  • Exposição da 19ª Corrida Fotográfica de Portimão
  • Música p’ra nanar na Biblioteca
  • Exposição
  • Em janeiro na Casa Manuel Teixeira Gomes
  • Hora de Conto com Autores “A aventura da pulguinha Aurora”

O aroma da sardinha assada voltou a invadir a zona ribeirinha de Portimão, na 23.ª edição do Festival da Sardinha

Entre 2 e 6 de agosto passados, Portimão esteve em festa e celebrou, mais uma vez, o seu principal ícone gastronómico. Por toda a cidade, o clima foi de festa e aliado, como manda a tradição, ao aroma da tradicional sardinhada que abriu o apetite de todos os visitantes.


Ao longo de cinco noites de festa e muita animação, onde foi possível degustar a afamada Sardinha assada como manda a tradição, em pão caseiro ou no prato acompanhada com a batata e a salada à Algarvia, passaram pela zona ribeirinha aproximadamente 50 mil visitantes, num recinto com acesso livre, refletindo-se desta forma no sucesso e reconhecimento do festival.

 

A animação foi uma constante na zona ribeirinha, entre o museu de Portimão e a zona entre pontes, com artesanato, doçaria, animação de rua e sonoridades várias, desde o folclore que diariamente animavam o espaço à música tradicional portuguesa no Coreto e no espaço “Sardinha no Pão”, passando ainda pelo teatro.

O evento que este ano atraiu perto de 50 mil visitantes à zona ribeirinha, voltou a associar-se aos restaurantes mais antigos e tradicionais desta zona da cidade, que voltaram a exibir nas entradas dos seus estabelecimentos a insígnia “Aqui há Sardinha!”.
Diariamente os restaurantes oficiais À Ravessa, Casa Bica, Dona Barca, Forte e Feio, O Meco, Retiro do Peixe Assado, Ú Venâncio e Zizá, assim como os restaurantes nas proximidades do festival, e o espaço “Sardinha no Pão”, assegurado pelas associações locais GEJUPCE Portimão – Gil Eanes Juventude Portimonense Clube e Boa Esperança Atlético Clube Portimonense, encheram-se de filas, mostrando a tradição e atratividade que o festival e o ex-libris da cidade mantêm. Os visitantes que, por estes dias, se deslocaram ao Festival da Sardinha, não deixaram assim escapar a oportunidade de degustar a afamada sardinha assada.
Os menos apreciadores deste pitéu aderiram na mesma ao festival, gerando igualmente filas e enchendo o espaço dos petiscos e doces regionais, na zona dos expositores.

Aliás, entre artesanato, petiscos e doçaria regionais, três dezenas de expositores marcaram presença neste evento, trazendo até Portimão o melhor que o artesanato e o sector agroalimentar regionais podem oferecer.

A nível musical, passaram pelo festival da sardinha os artistas Aurea, Reflect, Átoa, Cuca Roseta e João Só, que animaram todos os visitantes no palco principal, com concertos repletos de boa disposição e emoção.

O Festival da Sardinha foi uma organização da Câmara Municipal de Portimão, em parceria com a Associação Turismo de Portimão, a Junta de Freguesia de Portimão, a APS - Administração dos Portos de Sines e a EMARP – Águas e Resíduos de Portimão, com o patrocínio da Malo Clinic, No Solo Água, Socialgar Seguros, Sagres e Delta Cafés, e o apoio do Barlavento - Semanário Regional do Algarve e do Turismo do Algarve. O Festival tem, ainda, como rádio oficial a Alvor FM.

 

0
0
0
s2sdefault