Portimão recebe as duas mais importantes provas do desporto motorizado mundial

10.08.2020

Depois do Mundial de Fórmula1 entre 23 e 25 de outubro, o AIA – Autódromo Internacional do Algarve receberá de 20 a 22 de novembro a 15ª e última corrida do Moto GP, com os melhores pilotos do circuito, com destaque para o italiano Valentino Rossi, o espanhol Marc Marquéz e o português Miguel Oliveira, que correrá ‘em casa’.

Um aliciante suplementar da etapa algarvia é o facto de, logo após a corrida e a consagração do vencedor no pódio, serem entregues os prémios que coroarão a temporada 2020 do Moto GP.

O anúncio oficial da realização da prova na pista portimonense, localizada no Sítio do Escampadinho, freguesia da Mexilhoeira Grande, foi feito esta tarde, na presença dos secretários de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, do Turismo, Rita Marques, e do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, João Torres.

Na ocasião, a presidente da Câmara Municipal de Portimão, Isilda Gomes, elogiou o administrador da Parkalgar, Paulo Pinheiro, “por ter conseguido trazer para Portugal estas duas provas maiores da elite do desporto motorizado, um feito extremamente relevante para o país”.

A autarca citou o poema “Pedra Filosofal”, escrito por António Gedeão, para sublinhar que “o sonho comanda a vida, pois sempre que o homem sonha o mundo pula e avança, como uma bola colorida nas mãos de uma criança.”

Depois de assumir a sua “felicidade pela sucessão de boas notícias”, Isilda Gomes reconheceu que “esta dobradinha só foi possível com muito trabalho e tudo faremos para que a Fórmula1 e o Moto GP regressem para o ano e que os próprios pilotos não queiram deixar este circuito.”

Por sua vez, Paulo Pinheiro afirmou que, “depois de 12 anos de árduo trabalho, estamos finalmente a colher os frutos, pois a preparação é a mãe da vitória e o nosso foco é fidelizar ao AIA estas duas importantíssimas provas.”

Enquanto Jorge Viegas, presidente da FIM (Federação Internacional de Motociclismo), realçou o empenho do AIA e do Governo “para a concretização deste sonho”, o seu congénere Manuel Marinheiro, que preside à Federação Portuguesa de Motociclismo, lembrou que ao longo deste ano o país receberá oito provas a contar para mundiais, “uma situação inédita nos tempos em que vivemos.”

Na sua intervenção, o secretário da Estado da Juventude e Desporto realçou que a prática desportiva “vem demonstrando como é possível retomar o calendário competitivo, preferencialmente com espetadores nas bancadas, desde que haja um comportamento responsável.”

Quanto à secretária de Estado do Turismo, manifestou a expetativa que “o impacto esperado a curto prazo será bastante positivo, com muito público nas bancadas caso a situação pandémica evolua favoravelmente.”

“Uma prova destas tem uma projeção internacional tremenda, com mais de 430 milhões de espetadores em cerca de 200 países, e se tudo correr bem será uma poderosa mensagem de que Portugal está pronto e aberto para voltar a receber os turistas”, expressou Rita Marques.