Empreendedor da StartUp Portimão ganha primeiro prémio do programa Green Up

28.01.2021

Idealizada como um espaço onde se constroem oportunidades para quem deseje criar a sua empresa e concretizar os seus sonhos, a StartUp Portimão volta a destacar-se a nível nacional, através da atribuição do 1º prémio do programa Green Up ao empreendedor algarvio Pedro Glória, devido ao seu projeto SWRS.

Este concurso, promovido pelos Territórios Criativos e pelo Turismo de Portugal, iniciou-se com um roadshow pelas escolas de turismo nacionais, com mais de 40 horas de masterclasses sobre os objetivos de desenvolvimento sustentável. Após a receção de 130 candidaturas, foram selecionados 38 projetos.
 
Natural de Lagos, onde nasceu há 46 anos, Pedro Glória apresentou o SWRS, sistema inovador de reaproveitamento das águas cinzentas para descargas sanitárias, que permite poupar cerca de 30 por cento de água potável sem necessidade de obras, encontrando-se neste momento em fase de produção de protótipo para testes e aperfeiçoamento.
 
A grande final do Green Up realizou-se online a partir de Coruche no dia 27 de janeiro, tendo o projeto de Pedro Glória obtido o 1º prémio, no valor de 4.000 euros, entre sete finalistas. A decisão de distinguir o empreendedor da StartUp Portimão coube a um júri de renome internacional, composto por Cristina Salsinha (inoovation project manager do Turismo de Portugal), Isabel Neves (vice-presidente da FNABA), Jean Pierre Baronet (consultor), Odyle Cardoso (administradora do Banco Millennium Atlântico) e Pedro de Mello Breyner (membro do conselho executivo da Portugal Ventures).
 
Oportunidade no infortúnio
 
Músico a tempo inteiro desde 2007, os efeitos nefastos da Covid-19 implicaram a suspensão da atividade profissional e obrigaram Pedro Glória a repensar os seus planos de vida, tendo a StartUp Portimão surgido como a possibilidade mais válida de colocar em prática noções ambientalistas com as quais desde há muito se identifica, nomeadamente a permacultura.
 
De resto, as questões do meio ambiente sempre mereceram a sua especial atenção, ao ponto de nos últimos anos ter acompanhado conferências e diversas formações nas áreas da hidrologia, sustentabilidade e economia circular, entre outras.
 
Com o projeto SWRS, o empreendedor pretende aplicar ao meio urbano os conceitos da permacultura, uma ciência de âmbito social e ambiental que alia o conhecimento científico com o saber tradicional e popular, assegurando dessa forma a permanência do ser humano como espécie no planeta Terra.
 
Segundo Pedro Glória, o facto de integrar a incubadora de empresas portimonense desde maio passado permitiu-lhe encontrar motivação para não desistir, realçando a importância que as mentorias, reuniões e outras iniciativas em que participa têm para elevar o seu ânimo nestes tempos tão instáveis.
 
Aposta municipal de sucesso
 
Projeto municipal com pouco mais de três anos, a StarUp Portimão surgiu do objetivo de promover o empreendedorismo e a inovação no concelho, criar empregos e fixar pessoas no território, proporcionando o ambiente e serviços essenciais ao desenvolvimento empresarial.
 
Aposta bem-sucedida do Município de Portimão, conta neste momento com 20 startups incubadas (física e virtualmente), 85 por cento das quais na área das SmartCities. Agrega mais de 45 parceiros regionais, nacionais e internacionais, que contribuem para que este ecossistema empreendedor seja cada vez mais uma realidade na região algarvia.
 
Recorde-se que a StartUp Portimão foi recentemente uma das vencedoras dos EPA - European Enterprise Promotion Awards, iniciativa da Comissão Europeia que pretende distinguir as melhores práticas de promoção de empreendedorismo.
 
A incubadora algarvia ficou em segundo lugar na categoria de desenvolvimento do ambiente empresarial, com o projeto Portugal Site Selection, tendo a competição nacional destes prémios sido coordenada pelo IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação.
 
Já com cinco empreendedores não portugueses nas suas fileiras, um dos principais objetivos da StartUp Portimão para este ano é a captação de mais empresas estrangeiras, nomeadamente ligadas ao setor automóvel, tirando partido do potencial gerado pelo facto de funcionar no Autódromo Internacional do Algarve, o que permite a proximidade a grandes marcas e ‘clusters’ de potenciais clientes.