Portimão celebra “Outubro Rosa” e sensibiliza para a prevenção e diagnóstico precoce do cancro da mama

04.10.2021

O Município de Portimão volta a associar-se à campanha internacional “Outubro Rosa” com vista a sensibilizar a população para a prevenção e diagnóstico precoce do cancro da mama, em parceria com a Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC) e a Associação Oncológica do Algarve (AOA).

No dia 9 de outubro, o Município de Portimão, em parceria com a LPCC - Núcleo Regional do Sul, irá desenvolver várias Caminhadas Solidárias e uma tertúlia com vista a sensibilizar para a temática da prevenção e diagnóstico precoce do cancro da mama.

As Caminhadas Solidárias terão lugar a partir das 10h00 nas três sedes de freguesia do concelho, com as seguintes coordenadas: Portimão - partida na zona ribeirinha, junto ao Clube Naval (inscrições: 282 470 813 | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.); Alvor – partida junto ao Complexo Desportivo (inscrições: 282 248 570 | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.); Mexilhoeira Grande – partida junto ao Complexo Desportivo (inscrições: 282 248 571 | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.).

Os participantes poderão adquirir previamente a T-shirt Solidária, ao preço de 5 euros, nos diferentes pontos de inscrição ou no próprio dia 9 de outubro nos locais de partida das caminhadas.

Quanto à Tertúlia “Outubro Rosa”, decorrerá a partir das 11h00 do dia 9 deste mês na sala Nuno Mergulhão do Clube Naval de Portimão e vai contar com a participação da doutora Joana Xavier, investigadora auxiliar no CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde da Universidade do Algarve. que estará à conversa com os interessados sobre o cancro da mama.

Também para assinalar este mês consagrado à prevenção do cancro da mama, o edifício dos Paços do Concelho, o TEMPO - Teatro Municipal de Portimão e o Museu de Portimão exibem em todas as noites de outubro uma iluminação rosa.

Rastreio ao cancro da pele

Em paralelo, o Núcleo Regional do Sul da LPCC está a proceder a uma campanha de rastreios de diagnóstico precoce do cancro da pele, com o objetivo de detetar lesões, bem como de assegurar, em tempo útil, o respetivo seguimento no Serviço Nacional de Saúde.

Com apoio camarário, a campanha passa por Portimão no dia 9 de outubro, numa ação a cargo da médica dermatologista Rita Pimenta e marcada para o Museu de Portimão, das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00. As inscrições são prévias e devem ser feitas para: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. | telefone 910 449 978.

O rastreio é gratuito e aberto a toda a comunidade, com especial atenção para pessoas com pelo menos uma destas características: ter mais de 50 anos; possuir história familiar de cancro de pele, conter mais de 50 nevos (sinais) e fototipos baixos (pele e olhos claros); exercer profissão que implique exposição solar.

Associação Oncológica rastreou 3334 portimonenses

Outra das entidades regionais com quem o Município de Portimão mantém uma parceria profícua é com a AOA, que tem desenvolvido, desde há longos anos, diversas atividades no concelho em prol do doente oncológico, seus familiares e população em geral.

Estas atividades visam a educação para a saúde, promovendo um melhor estilo de vida através de bons hábitos alimentares, comportamentais e sociais, constituindo um dos maiores impactos positivos desse trabalho os rastreios regulares do cancro da mama, fundamentais para o diagnóstico precoce desta patologia.

De referir que, mesmo em tempos de pandemia, a AOA deu continuidade à sua importante atividade, tendo rastreado no último ano 3334 mulheres de Portimão, respeitando todas as normas sanitárias da Direção-Geral da Saúde.

Com delegação na Urbanização dos Três Bicos, graciosamente cedida pelo Município de Portimão, a AOA presta nesse espaço diversos serviços, como são as consultas de psico-oncologia, registando uma média anual de 1500 atendimentos, números naturalmente reduzidos durante a Civd-19.

Faz igualmente parte das ações da AOA a campanha solidária “Almofadas de Coração e Próteses Provisórias”, que consiste na angariação de tecidos e verbas para a confeção de almofadas em forma de coração e das próteses provisórias produzidas pelas voluntárias que laboram nas instalações do Clube Recreativo Desportivo da Pedra Mourinha, o que representa um inspirador exemplo de voluntariado social em prol do bem-estar da mulher com cancro da mama na fase de tratamento.

Projeto HOPE apoia doentes oncológicos de Portimão

Ainda nesta área da saúde, merece destaque o projeto HOPE da associação portimonense Teia D’Impulsos, que conta com o apoio do Município de Portimão. Lançado em março de 2019, durante o ano passado apoiou 15 doentes oncológicos em várias fases do processo da doença.

O HOPE surgiu para facilitar o acesso a um modelo de cuidados integrados, numa ótica de responsabilidade social, fundamentada em processos de humanização e centralização de serviços.

As principais valências de atuação do projeto passam pelo serviço social, a nutrição, o apoio jurídico e as medicinas complementares e alternativas, bem como as atividades de promoção de bem-estar, desde o exercício clínico à massagem, incluindo cursos de mindfulness, reiki e yoga.

O estado de pandemia vivenciado no país nos últimos tempos dificultou o desenvolvimento do projeto, tendo sido suspensas no final de março todas as atividades presenciais, devido à vulnerabilidade dos destinatários.

Apesar disso, foi colocado este ano um aquário no Espaço Raiz, onde funciona a Teia D’Impulsos, com o intuito de melhorar a qualidade de vida dos destinatários, prevendo-se que os utilizadores sejam contactados novamente para retomar as atividades presenciais.

Mais de seis mil novos casos por ano

Com uma população feminina de cinco milhões de pessoas, atualmente surgem em Portugal mais de 6000 novos casos de cancro da mama por ano, ou seja, 11 novos ocorrências por dia, falecendo diariamente quatro mulheres com a doença.

São regras fundamentais para que as mulheres conheçam o seu corpo olhar-se ao espelho com regularidade e saber reconhecer as alterações que podem ocorrer, de forma a detetar qualquer mudança o mais prematuramente possível.