Novela “Doze Dias” do escritor brasileiro Tiago Feijó vence Prémio Literário Manuel Teixeira Gomes

10.12.2021

O júri do Prémio Literário Manuel Teixeira Gomes escolheu a novela “Doze Dias”, do brasileiro Tiago Feijó, como a vencedora da edição deste ano do concurso promovido pelo Município de Portimão.

A apresentação pública da obra teve lugar a 7 de dezembro na Biblioteca Municipal Manuel Teixeira Gomes, no âmbito das comemorações do Dia da Cidade de Portimão, e contou com a participação online do autor, nascido em maio de 1983 na cidade brasileira de Fortaleza.

Na opinião do trio de jurados, composto pela escritora Maria do Vale Cartaxo (vencedora de três edições desta competição literária), pelo professor Hugo Mariano e pelo também escritor Pedro Cantinho Pereira, a novela premiada distinguiu-se por possuir “uma estrutura narrativa complexa e original, que exige do leitor uma atenção redobrada”, contendo nas suas páginas “momentos de poesia em prosa, de cariz filosófico-existencialista, que refletem a dualidade do homem na sua relação com os outros e consigo próprio, numa história de ligação, simultaneamente distante e fundamental, entre um filho carente e o seu pai ausente, agora à beira da morte.”

Segundo a sinopse de “Doze Dias”, a história gira em torno de “um pai e um filho que não se veem há quinze anos, separados por uma indiferença mútua e persistente, rompida apenas uma vez a cada ano, quando o pai telefona ao filho para felicitá-lo pelo seu aniversário. Mas o acaso tratará de pôr fim a este frio afastamento. Certa manhã, o senhor Raul acorda com uma estranha dor que o impede de se levantar da cama; sozinho e abandonado, não lhe resta outra alternativa senão ligar para o filho e lhe pedir ajuda. Antônio viaja duzentos quilômetros com o intuito de levar o pai ao hospital e retornar à mesmice de sua vida, mas o desenrolar dos fatos o mantém por doze dias no hospital, como único acompanhante do doente, na saga em que se transformará a enfermidade inesperada daquele seu desditoso progenitor.”

“Neste romance de desbravamento dos medos e das dores do outro, estes dois personagens, durante os doze dias que permanecerão juntos, terão a derradeira oportunidade de conhecerem a si mesmos e perdoarem um ou outro, numa jornada em busca do tempo perdido. A desconstrução do enredo, que salta de capítulo em capítulo para dias aleatórios, salienta e expõe o labirinto afetivo do qual somos todos feitos. Ao fim deste torvelinho varado em doze dias, nem o perdão nem a vingança estarão acima do milagre da aceitação do outro”, explica o escritor.

Formado em Letras Clássicas pela Unesp – Universidade Estadual Paulista, Tiago Feijó venceu o Prémio Ideal Clube de Literatura 2014, é autor do livro de contos “Insolitudes” (7letras, 2015) e do romance “Diário da casa arruinada” (Penalux, 2017), e tem textos publicados em diversas revistas e blogs de literatura.

Para a edição deste ano do Prémio Literário Manuel Teixeira Gomes foram recebidas 76 obras de autores lusos e de outros países de língua oficial portuguesa, que se candidataram ao prémio monetário de mil euros e edição de 300 exemplares da obra vencedora.