Lançamento do livro “Memórias de uma Falsificadora”, de Margarida Tengarrinha

No dia 17 de março, às 17h00, realiza-se, no Museu de Portimão, a cerimónia de lançamento do livro “Memórias de uma Falsificadora”, da autoria de Margarida Tengarrinha. A apresentação da obra será da responsabilidade da Prof. Doutora Maria João Raminhos e Dr. António Feu.

“Éramos jovens e queríamos um mundo melhor, num Portugal onde grassava a miséria, domi¬nado por um pequeno grupo de grandes financeiros, monopo¬listas e latifundiários. Éramos jovens e queríamos a liberdade, pois abafávamos num Portugal dominado por todos os medos: a censura omnipresente cortava notícias dos jornais, impedia peças de teatro, proibia a pu¬blicação de livros pela grelha estreita de um index tão feroz quanto o da velha Inquisição; a polícia política era uma sinistra aranha que, desde o covil das torturas na rua António Maria Cardoso em Lisboa e na rua do Heroísmo, no Porto, estendia a sua teia pelas cidades e aldeias, pelas fábricas e empresas, as es-colas e os quarteis, alargando-se por uma rede de informadores e bufos que eram os seus olhos e ouvidos: a PIDE podia pren¬der, torturar e matar impune¬mente e tinha ainda uma outra arma mais discreta e não menos eficaz, tirar o pão ao adversário.” Margarida Tengarrinha

Margarida Tengarrinha nasceu em Portimão, em 7 de Maio de 1928.
Iniciou a sua atividade política organizada em 1948, integrada no MUD Juvenil, na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa (ESBAL).
Em meados de 1952 foi expulsa da ESBAL, proibida de frequen¬tar todas as Faculdades do país e impedida de lecionar na Escola Preparatória Paula Vicente, onde era professora, pela sua ativa par¬ticipação na luta pela Paz, pelo desarmamento atómico e contra a reunião ministerial da NATO em Lisboa. Nesse ano tornou-se militante do PCP.
Em 1955 passou à militância clandestina do PCP com o seu companheiro José Dias Coelho, que foi assassinado a tiro pela PIDE em 19 de Dezembro de 1961.
De 1962 a 1968 trabalhou com Álvaro Cunhal e depois como redatora da Rádio Portugal Livre.
Depois do 25 de Abril foi mem¬bro do Comité Central do PCP e deputada do PCP pelo Algarve.
Em 2014 recebeu o Prémio Maria Veleda da Direção Regional de Cultura do Algarve.
Continua a ser Professora de História da Arte na Universidade Sénior de Portimão.

 

0
0
0
s2sdefault